quarta-feira, 24 de março de 2010

AWEDÉ



Uso nos terreiros:


Planta assossiada a Oxun, eró, com característica feminina e associada ao compartimento Água. Atrai prosperidade.

Algumas pessoas afirmam que com esta planta se faz trabalhos de união, embora seja um vegetal pouco utilizado nos terreiros.

Utilizada na iniciação, consagração dos objetos rituais do orixá, no àgbo e em trabalho para se obter saúde.


Uso em Ifá:


Do odu Ogbè gúndá em “trabalho para obter favores de Oxum” (Verger 1995:315)

Do Odu Ìwòrì òbàrà em “trabalho para conseguir roupas e bens” (Verger 1995:329)

Ofó do odu Ìwòrì wòndá (Ìwòrì ògúndá) (Verger 1967:28-29) em ritual de lavagem da cabeça na floresta de Ifá.


We rere awedé werere o

Awedé

We leke, we rere o


Lave com bondade awedé

Lave os metal awedé

Lave colares, lave os metais.


Na África é utilizada para limpar objetos de bronze e lavar a cabeça na floresta de Ifá.


Outros nomes yorùbá: ajagunrásè, apó ibà, ìbéderé e alasé (Verger 1995:666).

Nomes populares: Quaresminha-rasteira, quaresmeira-rasteira

Nome latino: Schizocentron elegans Meissn., Melastomaceae

ÀTÒRÌ













Uso nos terreiros:


Planta associada a Oxalá. Seus galhos fornecem pequenas varas – Àtòrí – utilizado nos rituais de Oxoguian na festa do Pilão.


Uso em Ifá:


Do odu Òsé ogúndá em receita para virilidade (Verger 1995:129)

Do odu Òbárá ìwòrì em Trabalho para ter boa memória (Verger 1995:377)

Do odu Ietè méjì em Proteção contra o mal (Verger 1995:451)


Outro nome yorubà: Òrè èwòò

Nome popular: Guanxima

Nome latino: Glyphaea brevis (Spreng.) Monach., Tiliaceae

domingo, 21 de março de 2010

ATALÈ



Uso nos terreiros:

Como tempero, as raízes são usadas na culinária do orixá em pratos como Omolokun e Amalá.

Também entram no preparo do xekete, bebida de origem indígena utilizada para Oxalá, no ritual do sasanyin e servida na festa de Obaluaye, o Olubajá. Também é conhecida como aruá ou aluá.

Em Cuba, o gengibre é dedicado a Ògún e dão-lhe o nome ewé atalé. (Cabreira 1992:430),

Uso em Ifá:

Embora, tenha uso freqüente nos rituais de Ifá, existem poucas citações sobre a sua utilidade.

Nome popular: Gengibre

Nome latino: Zingiber officinale Roscoe., Zingiberaceae

ATAARE



Uso nos terreiros:


Em diversos rituais, da iniciação aos ritos de Èxù. Em borí e em assentamentos.

Tem uso benéfico, mas, também, maléfico, pois entra no preparo de muitos feitiços.

Tem como funções principais liberar a força dos elementos, potencializar a palavra e purificar o hálito.

Classificada no compartimento Fogo, tem propriedade gún e seu fruto (a parte mais utilizada) é feminino.


Uso em Ifá:


Verger cita dezoito trabalhos de uso medicinal (oògùn, 1995:127, 129, 145, 149, 159, 183, 185, 187, 197, 199, 215, 219, 225, 229, 235, 245 e 257), cinco relativos à gravidez e ao nascimento (ìbímo, 1995:273, 279, 281, 285 e 287), dois trabalhos para os orixás (1995:313, 315) quinze trabalhos de uso benéficos (àwúre, 1995:335, 347, 355, 359, 367, 375, 383, 385, 387, 393, 395, 397 e 399) cinco trabalhos de uso maléfico (àbìlù, 1995:407, 411, 415, 423 e 427) dez de proteção contra trabalhos maléficos (ìdáàbòbò, 1995:447, 449, 451, 453, 455, 459 e 461) todos com pimenta-da-costa.

Outros nomes yorùbá: òbùró, ata, ata ire, atayé atayé liya (Abéòkuta), atayé isa, atayéì jobì, atayé rere e etalúyà (ìjebú) (Verger 1995:628)

Nome popular: Pimenta-da-costa

Nome latino: Aframomum melegueta (Roscoe) K. Schum., Zingiberaceae