domingo, 21 de março de 2010

ATAARE



Uso nos terreiros:


Em diversos rituais, da iniciação aos ritos de Èxù. Em borí e em assentamentos.

Tem uso benéfico, mas, também, maléfico, pois entra no preparo de muitos feitiços.

Tem como funções principais liberar a força dos elementos, potencializar a palavra e purificar o hálito.

Classificada no compartimento Fogo, tem propriedade gún e seu fruto (a parte mais utilizada) é feminino.


Uso em Ifá:


Verger cita dezoito trabalhos de uso medicinal (oògùn, 1995:127, 129, 145, 149, 159, 183, 185, 187, 197, 199, 215, 219, 225, 229, 235, 245 e 257), cinco relativos à gravidez e ao nascimento (ìbímo, 1995:273, 279, 281, 285 e 287), dois trabalhos para os orixás (1995:313, 315) quinze trabalhos de uso benéficos (àwúre, 1995:335, 347, 355, 359, 367, 375, 383, 385, 387, 393, 395, 397 e 399) cinco trabalhos de uso maléfico (àbìlù, 1995:407, 411, 415, 423 e 427) dez de proteção contra trabalhos maléficos (ìdáàbòbò, 1995:447, 449, 451, 453, 455, 459 e 461) todos com pimenta-da-costa.

Outros nomes yorùbá: òbùró, ata, ata ire, atayé atayé liya (Abéòkuta), atayé isa, atayéì jobì, atayé rere e etalúyà (ìjebú) (Verger 1995:628)

Nome popular: Pimenta-da-costa

Nome latino: Aframomum melegueta (Roscoe) K. Schum., Zingiberaceae

Um comentário:

  1. Oi Eduardo tudo bem ?

    O Ataare e o mesmo que grãos do paraíso e pimenta da guiné.

    obrigada.

    ResponderExcluir